Dicas para Narração


Por Susan Wise Bauer
Traduzido por Andrea Patrícia



As duas queixas mais comuns que ouvimos dos pais que tentam usar a narração como ferramenta de ensino são: “Meu filho me dá todos os detalhes da história! Minha mão está caindo tentando escrevê-los!” e “Eu tenho que puxar cada frase do meu filho, ou ele não dirá nada!” Para ambos os problemas, tente o seguinte procedimento:

Continue lendo regularmente história, ciência e literatura, mas quando pedir para a criança narrar, comece com DUAS FRASES do material que você leu. Escolha quaisquer duas (frases consecutivas) e leia-as para a criança. Em seguida, peça à criança para condensá-las em uma frase. Ajude a criança a identificar quais informações deixar de fora, perguntando a ela qual é a parte mais importante da frase.

Por exemplo, digamos que você acabou de ler o Livro da Usborne de História do Mundo sobre os hititas (p. 40-41). Escolha duas frases nesta página, como as seguintes: “Os cavalos dos hititas eram muito pequenos para transportar os cavaleiros para longe. Os guerreiros cavalgaram para a batalha em pequenas carruagens puxadas por dois ou mais cavalos".

Agora pergunte: “Qual é o fato mais importante nessas sentenças?” Se a criança disser: “Os cavalos eram pequenos”, diga: “Então o que os hititas tiveram que fazer?” A criança responde: “Cavalgavam para a batalha em pequenas carruagens”. Diga: “Que bom! Coloque isso em uma frase” “Os hititas cavalgavam para a batalha em pequenas carruagens”. Agora diga: “Que bom! Você consegue pensar em uma maneira mais curta de dizer "cavalgavam para a batalha"? Se a criança não puder responder, sugira: "Que tal "usavam"? "Os hititas usavam pequenas carruagens". Diga isso depois de mim. Você percebe como a frase é curta?

Não tenha medo de sugerir frases que ajudem a encurtar a narração. A criança está aprendendo a nova habilidade de parafrasear, mas não consegue aprender até que a tenha ouvido modelar. Você está "modelando" a narração dizendo uma frase, sugerindo uma maneira mais curta de dizer a mesma coisa e pedindo que ela repita depois de você. Uma criança que tem dificuldade em narrar muitas vezes não consegue pensar em uma maneira diferente de repetir informações. Pratique essa habilidade oferecendo à criança uma frase de cada vez e ajudando-a a encontrar sinônimos para as palavras usadas pelo livro.

Quando ela for capaz de fazer duas frases de cada vez, adicione uma terceira. Sugira a ela que ela pode deixar de fora algumas das informações completamente. Você pode oferecer a ela as três primeiras frases da p. 82: “Das grandes civilizações do Egito, os africanos aprenderam a trabalhar ouro, cobre, estanho e bronze. Os assírios, com armas de ferro, invadiram o vale do Nilo em 671 a.C. e o uso do ferro se espalhou. Dois reinos poderosos cresceram ao sul do Egito - Kush e Axum (Etiópia moderna)”. Peça a ela para começar sua narração com a informação básica na primeira sentença: “Os africanos trabalhavam com ouro, cobre e estanho”. Sugira que ela possa dizer “metal” para substituir “ouro e cobre e estanho”. Agora, sua narração diz: “Os africanos trabalhavam com metal”. Diga a ela: “A próxima palavra deveria ser 'e', para que possamos acrescentar mais algumas informações". Os africanos trabalhavam com metal e - "O que você colocaria em seguida?" Deixe-a tentar algumas opções diferentes: "Os africanos trabalhavam com metais e os assírios também". Se ela apresentar um resumo como esse, diga: "Ótimo! Vamos parar por aí. Você não precisa incluir mais nada!” Ou ela pode dizer: “Os africanos trabalhavam com metal e tinham dois reinos, Kush e Axum”. Elogie essa frase e assegure-lhe que ela não precisa falar sobre os assírios nesta frase.

Quando você adicionar uma quarta sentença ao texto que ela estará resumindo, você pode permitir que ela mude para uma narração de duas frases. Continue com este processo, adicionando uma frase à seleção para ser narrada SOMENTE quando a criança puder resumir facilmente a quantidade de informações com as quais você está trabalhando atualmente. Não se preocupe com o texto que você não está narrando! Lembre-se de que o objetivo da educação clássica não é o "conhecimento bruto" de uma certa quantidade de informação, mas sim o treinamento nas habilidades de pensamento que permitirão ao estudante aprender qualquer informação que ele escolha. Uma vez que seu estudante tenha aprendido a resumir, ele estará equipado para compreender e reter mais conhecimento nos estágios posteriores da educação clássica.

Original aqui.



Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas